Cozinha experimental – Bolinhos assados de batata com brócolis

“Eu e o Diego sempre fomos adeptos da “cozinha experimental”, vamos para o fogão sem medo de errar, misturamos ingredientes, temperos, testamos sabores… Com a chegada da Mônica e a minha saída do trabalho almoçamos juntos em casa todos os dias e estamos com mais tempo para testar novas receitas, com mais tentativas estamos chegando a resultados melhores e descobrindo que uma alimentação mais saudável e variada pode estimular a criatividade tanto quanto desenhar ou tocar um instrumento. Estamos nos divertindo muito com esse processo e – modéstia à parte – vimos que levamos jeito com a coisa. por isso decidi criar a tag ‘cozinha experimental’ aqui no blog onde vou compartilhar nossas receitas bem sucedidas.

Os pratos não necessariamente serão sucesso com as crianças, mas certamente são sucesso com os pais e podem ser opções para dar uma variada no cardápio. Lembrando que não somos nutricionistas nem culinaristas, portanto não saberemos precisar valores nutricionais das receitas que serão divulgadas aqui. Ainda assim esperamos que aproveitem, testem e tragam um feedback dos nossos pratos!”

A receita dessa semana é:

Bolinhos assados de batata com brócolis

Ainda na categoria ‘baby finger food’ fiz esses bolinhos de batata com brócolis para a Mônica comer com as mãos no almoço. Modéstia bem a parte, ficaram uma delícia! Porém devo alertar que se você esperar aqueles bolinhos de vó, recheados com carne moída, pingando óleo e com sabor de infância, vai ter uma grande decepção, pois eles são completamente diferentes…

image

Avisos feitos, vamos ao que interessa!

Ingredientes:

  • 2 batatas grandes;
  • 1 xícara de brócolis cozido no vapor (fica bem mais gostoso) picado
  • sal, pimenta, tempero verde…
  • 1 xícara de aveia (para “empanar”)

Modo de fazer:

  • Cozinhe as batatas e faça um purê com elas, adicione o brócolis picado, tempere à gosto.
  • Modele bolinhos com o auxílio de duas colheres, passe-os na aveia, disponha em uma forma antiaderente e leve ao forno na potência máxima por 20 minutos, virando na metade do tempo.

Os bolinhos ficam com uma crosta crocante e com consistência de purê por dentro… Uma delícia!

Cozinha experimental – almoço para o bebê comer com as mãos

“Eu e o Diego sempre fomos adeptos da “cozinha experimental”, vamos para o fogão sem medo de errar, misturamos ingredientes, temperos, testamos sabores… Com a chegada da Mônica e a minha saída do trabalho almoçamos juntos em casa todos os dias e estamos com mais tempo para testar novas receitas, com mais tentativas estamos chegando a l melhores e descobrindo que uma alimentação mais saudável e variada pode estimular a criatividade tanto quanto desenhar ou tocar um instrumento. Estamos nos divertindo muito com esse processo e – modéstia à parte – vimos que levamos jeito com a coisa. por isso decidi criar a tag ‘cozinha experimental’ aqui no blog onde vou compartilhar nossas receitas bem sucedidas.

Os pratos não necessariamente serão sucesso com as crianças, mas certamente são sucesso com os pais e podem ser opções para dar uma variada no cardápio. Lembrando que não somos nutricionistas nem culinaristas, portanto não saberemos precisar valores nutricionais das receitas que serão divulgadas aqui. Ainda assim esperamos que aproveitem, testem e tragam um feedback dos nossos pratos!”

A receita dessa semana não é exatamente uma receita, mas uma sugestão

Almoço para o bebê comer com as mãos

Vocês viram que as postagens da tag estava bem paradonas né? Há duas semanas que tento postar, faço rascunho do post, mas não consigo terminar… Isso porque estou com um pequeno aviãozinho aqui em casa! Mas vamo-que-vamo tentar colocar isso em dia!

Já comentei que a Mônica andava numas de só querer comer sozinha e com as mãos né? Pois bem, eis que a pobre mãe aqui teve que quebrar a cabeça para inventar coisinhas nutritivas que a pequena pudesse pegar e comer… Essa fase parece ter passado e agora ela já está não só aceitando ganhar comida com a colher como também está fazendo seus primeiros experimentos em pegar a colher sozinha e levar à boca!

Um dos pratos que  mais fizeram sucesso no período”sou ogra sim e daí?” foi o bolinho de arroz de forno. Aqui a onda era molhá-lo no feijão e deixar o bebê livre para se lambuzar…

A dica é incrementar o bolinho com outros ingredientes, na foto abaixo eu juntei à receita (que você encontra aqui) uma folha de couve e meia cenoura ralada bem fininha. Dá para colocar espinafre, beterraba, brócolis e o que mais você imaginar (como se fosse uma papinha, só que assado.) O prato ainda tinha abobrinha comprida no vapor – que ela adora – carne e feijão para ela molhar o bolinho.image

E haja imaginação minha gente!

Cozinha experimental – Biscoito de beterraba

“Eu e o Diego sempre fomos adeptos da “cozinha experimental”, vamos para o fogão sem medo de errar, misturamos ingredientes, temperos, testamos sabores… Com a chegada da Mônica e a minha saída do trabalho almoçamos juntos em casa todos os dias e estamos com mais tempo para testar novas receitas, com mais tentativas estamos chegando a resultados melhores e descobrindo que uma alimentação mais saudável e variada pode estimular a criatividade tanto quanto desenhar ou tocar um instrumento. Estamos nos divertindo muito com esse processo e – modéstia à parte – vimos que levamos jeito com a coisa. por isso decidi criar a tag ‘cozinha experimental’ aqui no blog onde vou compartilhar nossas receitas bem sucedidas.

Os pratos não necessariamente serão sucesso com as crianças, mas certamente são sucesso com os pais e podem ser opções para dar uma variada no cardápio. Lembrando que não somos nutricionistas nem culinaristas, portanto não saberemos precisar valores nutricionais das receitas que serão divulgadas aqui. Ainda assim esperamos que aproveitem, testem e tragam um feedback dos nossos pratos!”

A receita dessa semana é:

Biscoito de beterraba

Um dos primeiros eletrodomésticos que compramos para nossa casa quando viemos morar sozinhos foi uma daquelas centrífugas para fazer suco. Eu e o Diego imaginávamos que íamos usar muito, mas acabou que o negócio é um trambolho, difícil de lavar e desperdiça uma parte considerável das frutas. Acabamos usando então só quando queremos fazer um suco de beterraba ou de cenoura e sempre inventamos receitas para usar o bagaço que sobra. Já fizemos pão, bolo, patê e a última invenção foram biscoitos, bem fáceis e suuuper saborosos!

Ingredientes:

  • 4 beterrabas centrifugadas (você vai usar o bagaço, que fica dentro da centrífuga o suco dá pra misturar com limão ou laranja que fica delícia!)

    Esta é a parte da beterraba que vai ser usada na receita.

    Esta é a parte da beterraba que vai ser usada na receita.

  • 1/2 xícara de farinha de trigo (eu isei a integral, mas pode ser a branca)
  • 1/2 xícara de aveia em flocos (dá pra perceber que eu sou a louca da aveia né?)
  • 100gr  de manteiga gelada
  • Baunilha e canela à gosto (opcional)

Modo de fazer:

  • Misture os ingredientes todos (se ver que precisa de mais farinha vá acrescentando aos poucos, uma colherada de cada vez) até ficar uma massa homogênea.

    A massa fica com essa cara!

    A massa fica com essa cara!

  • Disponha em uma forma forrada com papel manteiga e leve ao forno pré-aquecido a 180° por cerca de 20 minutos.
Cortei em formato de coração... <3

Cortei em formato de coração… ❤

Dica:

  • Não dá pra ver o biscoito ‘dourando’ pois a massa fica roxa (uma cor linda por sinal), então vá cuidando e provando para ele não queimar! Quando estiver sequinho e crocante é hora de tirar do forno. Na dúvida não passe de 25 minutos, se achar que ainda não está pronto deixe eles quietinhos no forno desligado…

Como a beterraba é docinha o biscoito não leva açúcar, fica muito gostoso. Ah! Se conseguir esperar eles ficam mais saborosos depois de frios, o gostinho da beterraba se intensifica… Esqueci de tirar fotos deles depois de prontos, mas ficam com uma cor bem interessante, roxinhos por fora e mais alaranjados por dentro… Vale a pena testar! A receita rendeu cerca de 40 biscoitos (que duraram nada aqui em casa! =P)

Cozinha experimental – Pudim gelado de iogurte e manga

“Eu e o Diego sempre fomos adeptos da “cozinha experimental”, vamos para o fogão sem medo de errar, misturamos ingredientes, temperos, testamos sabores… Com a chegada da Mônica e a minha saída do trabalho almoçamos juntos em casa todos os dias e estamos com mais tempo para testar novas receitas, com mais tentativas estamos chegando a resultados melhores e descobrindo que uma alimentação mais saudável e variada pode estimular a criatividade tanto quanto desenhar ou tocar um instrumento. Estamos nos divertindo muito com esse processo e – modéstia à parte – vimos que levamos jeito com a coisa. por isso decidi criar a tag ‘cozinha experimental’ aqui no blog onde vou compartilhar nossas receitas bem sucedidas.

Os pratos não necessariamente serão sucesso com as crianças, mas certamente são sucesso com os pais e podem ser opções para dar uma variada no cardápio. Lembrando que não somos nutricionistas nem culinaristas, portanto não saberemos precisar valores nutricionais das receitas que serão divulgadas aqui. Ainda assim esperamos que aproveitem, testem e tragam um feedback dos nossos pratos!”

A receita dessa semana é:

Pudim gelado de iogurte e manga

Quase não deu tempo de postar receita esta semana, mas com o natal chegando eu não podia deixar de dar minha sugestão de sobremesa leve, deliciosa e sem nadica de açúcar… Feliz Natal!

Agora com foto, que a panaca tinha esquecido…

 

wpid-2013-12-18-13.22.43.jpg

Ingredientes

1 manga bem madura

1 copo e meio de iogurte natural

1/2 copo de suco de laranja

1 pacote de gelatina sem sabor

Damascos e raminhos de hortelã para decorar

Modo de preparar

Hidrate a gelatina conforme as instruções da embalagem, bata todos os ingredientes (inclusive a gelatina ^^) no liquidificador até ficar homogêneo. Despeje o creme em uma forma e leve à geladeira por 3 horas.

Dica:

Para desenformar coloque a forma em uma bacia com água quente para ajudar a soltar o pudim (eu fiz em uma forma de silicone e deu certo assim, mas não sei se em formas de teflon ou de vidro isso funciona, então vale fazer um teste antes de apresentar a sobremesa para as visitas…)

Se ficar com medo de tirar da forma e destruir o visual é só fazer em um refratário bonitinho e chamar de mousse que ele atende!

Cozinha experimental -Bolo integral com ameixa e iogurte – fofinho e sem farinha branca!

“Eu e o Diego sempre fomos adeptos da “cozinha experimental”, vamos para o fogão sem medo de errar, misturamos ingredientes, temperos, testamos sabores… Com a chegada da Mônica e a minha saída do trabalho almoçamos juntos em casa todos os dias e estamos com mais tempo para testar novas receitas, com mais tentativas estamos chegando a resultados melhores e descobrindo que uma alimentação mais saudável e variada pode estimular a criatividade tanto quanto desenhar ou tocar um instrumento. Estamos nos divertindo muito com esse processo e – modéstia à parte – vimos que levamos jeito com a coisa. por isso decidi criar a tag ‘cozinha experimental’ aqui no blog onde vou compartilhar nossas receitas bem sucedidas.

Os pratos não necessariamente serão sucesso com as crianças, mas certamente são sucesso com os pais e podem ser opções para dar uma variada no cardápio. Lembrando que não somos nutricionistas nem culinaristas, portanto não saberemos precisar valores nutricionais das receitas que serão divulgadas aqui. Ainda assim esperamos que aproveitem, testem e tragam um feedback dos nossos pratos!”

A receita dessa semana é:

Bolo integral com ameixa e iogurte
image

Se você já usa farinha integral na sua cozinha já deve ter percebido que ela é mais “pesada” e que fazer um bolo com ela não é das tarefas mais fáceis, ele sempre fica ‘solado’. A solução que a maioria das pessoas encontra é mesclar a farinha branca com a integral na receita, mas euzinha não me conformava com isso! Foi então que resolvi usar as dicas da vovó para fazer um bolo fofinho e consegui chegar a esta receita que resultou em um bolo de massa leve, fofinha e sem farinha branca! O segredo está no modo de preparo…

Ingredientes:

1 xícara de açúcar mascavo

3 ovos

2 xícaras de farinha integral

1/2 copo de iogurte natural

1/2 xícara de água

16 ameixas pretas sem caroço

1 colher de fermento químico

Modo de fazer

cubra  metade das ameixas com água e deixe ferver,  faça um purê com elas (bata no mixer ou no liquidificador com um pouquinho da água da fervura. O restante da água você pode tomar como chá, fica ótimo!) Reserve esse purezinho.

Bata as gemas com o açúcar até ficar um creminho bem fofo cor de café com leite. Adicione a farinha, o iogurte, o purê de ameixas e a água formando uma massa bem homogênea. Acrescente o fermento e a outra metade das ameixas, misture bem e por último adicione as claras batidas em neve, misturando-as suavemente para que as bolhas de ar não desmanchem.

Coloque em uma forma untada e enfarinhada – eu usei uma de furo no meio, mas não precisa ser esta – e leve ao forno pré aquecido a 180° por cerca de uma hora.

Delicie-se!

Ps.: Aqui em casa o bebê ainda não come a maioria dos doces, bolos e afins, estamos segurando grande parte dessas coisas até um ano, portanto a degustação ficou por conta dos adultos. A aprovação foi total!

Cozinha experimental – Bolinho de arroz de forno

“Eu e o Diego sempre fomos adeptos da “cozinha experimental”, vamos para o fogão sem medo de errar, misturamos ingredientes, temperos, testamos sabores… Com a chegada da Mônica e a minha saída do trabalho almoçamos juntos em casa todos os dias e estamos com mais tempo para testar novas receitas, com mais tentativas estamos chegando a resultados melhores e descobrindo que uma alimentação mais saudável e variada pode estimular a criatividade tanto quanto desenhar ou tocar um instrumento. Estamos nos divertindo muito com esse processo e – modéstia à parte – vimos que levamos jeito com a coisa. por isso decidi criar a tag ‘cozinha experimental’ aqui no blog onde vou compartilhar nossas receitas bem sucedidas.

Os pratos não necessariamente serão sucesso com as crianças, mas certamente são sucesso com os pais e podem ser opções para dar uma variada no cardápio. Lembrando que não somos nutricionistas nem culinaristas, portanto não saberemos precisar valores nutricionais das receitas que serão divulgadas aqui. Ainda assim esperamos que aproveitem, testem e tragam um feedback dos nossos pratos!”

A receita dessa semana é:

Bolinho de arroz de forno:

wpid-2013-11-28-12.32.23.jpg

Eu adoro bolinho de arroz, mas ODEIO fritura! E não é só por conta da saúde, é porque faz muita sujeira, vai um caminhão de óleo e deixa a casa cheirando por dias! Por isso aqui em casa começamos a experimentar fazer bolinhos de arroz no forno, tentamos de várias maneiras até chegar à esta receita que fica ótima!

Ingredientes

2 xícaras de arroz pronto (aproximadamente, na prática é o que tiver de sobra de arroz na geladeira)

1 ovo batido

1 colher de sopa de tempero base de cebola (receita aqui)

1/2 xícara de aveia em flocos

sal e pimenta à gosto

Preparo

junte todos os ingredientes em um recipiente grande. Disponha pequenas porções (você pode usar duas colheres de sopa para ajudar a moldar os bolinhos) em uma assadeira antiaderente, leve ao forno à 180° por 15 minutos ou até dourar. Coma ainda quentinho e delicie-se!

Dicas

A ‘massa’ tem que ficar molhadinha, mas permitir que o bolinho não se desmanche na forma. Se você achar que ela ficou muito molhada pode acrescentar uma colher de sopa de farinha de trigo, se achar que ficou muito seca acrescente mais tempero de cebola.

Você pode trocar o tempero por uma cebola bem picadinha, mas não dá o mesmo efeito…

Aqui em casa eu faço os bolinhos com cortadores de biscoito, encho eles com uma colher e puxo, os bolinhos ficam em formato de círculo, coração, estrelinha…

Eu congelei o que sobrou e ficou bem aceitável depois de descongelado, mas o bom mesmo é comer quentinho e na hora.

Sinceramente acho mais gostoso o bolinho assado do que o frito. Ele fica mais sequinho e crocante, além de ser bem mais prático. Espero que gostem!

[nova tag] Cozinha experimental – Tempero base de cebola feito no liquidificador

“Eu e o Diego sempre fomos adeptos da “cozinha experimental”, vamos para o fogão sem medo de errar, misturamos ingredientes, temperos, testamos sabores… Com a chegada da Mônica e a minha saída do trabalho almoçamos juntos em casa todos os dias e estamos com mais tempo para testar novas receitas, com mais tentativas estamos chegando a resultados melhores e descobrindo que uma alimentação mais saudável e variada pode estimular a criatividade tanto quanto desenhar ou tocar um instrumento. Estamos nos divertindo muito com esse processo e – modéstia à parte – vimos que levamos jeito com a coisa. por isso decidi criar a tag ‘cozinha experimental’ aqui no blog onde vou compartilhar nossas receitas bem sucedidas.

Os pratos não necessariamente serão sucesso com as crianças, mas certamente são sucesso com os pais e podem ser opções para dar uma variada no cardápio. Lembrando que não somos nutricionistas nem culinaristas, portanto não saberemos precisar valores nutricionais das receitas que serão divulgadas aqui. Ainda assim esperamos que aproveitem, testem e tragam um feedback dos nossos pratos!”

A receita dessa semana é:

Tempero base de cebola feito no liquidificador

Este tempero sempre esteve presente na minha vida, minha mãe o faz desde que me conheço por gente e sempre tem na geladeira… Como agora faço almoço todos os dias o Diego resolveu que também tinha que fazê-lo, porque é uma mão na roda mesmo! As quantidades são aproximadas  porque tanto ele quanto a minha mãe fazem no “olhômetro” e você pode ir aumentando ou diminuindo conforme for fazendo o seu tempero em casa…

Ingredientes:

  • 1kg de cebola;
  • 1 maço de tempero verde;
  • 1/4 xícara de vinagre branco;
  • 1/2 xícara de óleo;

Modo de fazer:

  • Bata tudo no liquidificador e seja feliz! 🙂

Lembrando de colocar primeiro os líquidos e as cebolas cortadas em, pelo menos, quatro pedaços e aos poucos, para não destruir o pobre liquidificador… Mas          basicamente é isso… Depois é só guardar em um pote de plástico ou vidro na geladeira, bem fechado para não deixar cheiro. Aqui em casa dura uns 15 a 20 dias tranquilo…

Usamos para tudo e facilita bastante pois não precisa ficar cortando cebola toda a vez que quiser cozinhar. Não acho que substitua, em termos de sabor, uma cebolinha bem picadinha refogada, mas se você está na correria ou tem alguém em casa que não curte cebola esse temperinho é ótimo. Aqui uso muito pra temperar carne e pra misturar no preparo de almôndegas e bolinhos de arroz, por exemplo.

Espero que gostem!

Pretendo trazer a tag de receitas toda a sexta feira, pra que as mães e pais que só ficam em casa fim de semana possam aproveitar e fazer comidinhas diferentes em casa, gostam da ideia? Posso voltar semana que vem com mais uma receita?